DIABETES, PREVENÇÃO E CONTROLE

O que é diabetes Mellitus?

Diabetes é uma palavra grega que significa sifão, correr através de, e Mellitus é uma palavra que veio do latim que significa adoçado com mel.

É uma doença crônica e silenciosa que causa a elevação e acúmulo da glicose (carboidrato simples que tem a função de fornecer energia aos organismos) no sangue que se chama hiperglicemia (nível muito alto de glicose no sangue), causada por uma deficiência na produção da insulina (hormônio produzido no pâncreas), responsável por facilitar a absorção da glicose pelas nossas células.  Quando a glicose se eleva acima do normal pode causar danos aos órgãos, vasos sanguíneos e nervos.

Você sabe quais são os tipos de diabetes?
Resultado de imagem para diabetes

Existem 3 tipos de diabetes:

Diabetes tipo 1 – Muitos médicos acreditam que pode ter origem genética ou auto imunológica, mas a causa é ainda desconhecida. É comum em crianças, adolescentes e adultos jovens, com sintomas de fome, sede excessiva e poliúria (urinar em excesso). Neste tipo de diabetes o pâncreas não produz a insulina ou à produz em quantidade insuficiente e a produção de glicose aumenta de maneira significativa, sendo preciso aplicar injeções de insulina todos os dias.

Diabetes tipo 2 – Na maioria dos casos é assintomático, muito comum em pessoas com mais de 40 anos, com sobrepeso, sedentárias e fumantes. Mas atualmente pessoas mais jovens vem sendo diagnosticadas com este tipo de diabetes, devido ao sedentarismo e stress da vida moderna. Neste tipo de diabetes, o pâncreas produz a insulina em quantidade insuficiente ou a produz normalmente e o organismo não consegue metabolizar corretamente.

Diabetes Gestacional- Pode ocorrer na gravidez principalmente por mulheres que engravidaram acima do peso e que tiveram bebês com mais de 5 quilos, desaparecendo logo depois do parto na maioria dos casos, algumas mulheres podem desenvolver o diabetes tipo 2 após a gestação. Neste tipo de diabetes, durante toda a gravidez é necessário um acompanhamento durante o pré-natal, onde se avalia os riscos para a mãe e bebê.

Fatores de risco e prevenção.

O diabetes é uma doença que não tem cura, a prevenção é essencial para se proteger dessa doença que tem inúmeros fatores de risco como: Obesidade, sedentarismo, herança genética, idade, stress, alcoolismo, etc.

Para se prevenir é fundamental adotar um estilo de vida mais saudável como praticar exercícios regularmente, ter uma alimentação equilibrada através de dietas específicas, fazer exames regularmente para diagnóstico do diabetes e quando diagnosticado procurar o médico endocrinologista que cuida desta patologia para orientação e tratamento.

Tratando o diabetes, após diagnóstico.

O tratamento vai depender do tipo de diabetes que foi diagnosticado: No diabetes tipo 1 é preciso usar injeções de insulina durante a vida toda para controlar a Resultado de imagem para diabetesdoença, no diabetes tipo 2 o paciente precisa fazer dieta, praticar exercícios físicos, tomar medicamentos prescritos pelo médico, entre outras medidas.

No diabetes gestacional a gestante terá que seguir as recomendações do seu médico atentamente para evitar complicações para ela e o bebê.

Em todos os casos é essencial o controle da taxa de glicemia (quantidade de glicose existente no sangue), fazendo sempre exames periódicos, recomendados por um médico.

Diagnosticando o diabetes e suas complicações da doença.

Para diagnosticar o diabetes se faz um teste chamado de glicemia em jejum que mede o nível de glicose no sangue depois de um jejum de 8 horas. Neste teste é considerado normal quando a taxa é de 70 a 110 mg/dl. Se o resultado ficar em torno de 110 a 125 mg/dl, já é considerado acima do normal.

Acima de 126mg/dl, em pelo menos dois exames consecutivos, fica confirmado o diagnóstico.

Glicemia superior a 140 mg/dl em exame feito a qualquer hora do dia também confirma o diabetes.


O diabetes se não tratado adequadamente pode trazer graves complicações para o paciente como:

Resultado de imagem para diabetes danosDoença renal, problemas nos olhos que podem levar à cegueira e um outro grande problema para o diabético são os pés, que podem ser acometidos por vários problemas devido à má circulação do sangue. O pé diabético pode apresentar: dormência, ausência ou não crescimento de pêlos nos pés, micoses interdigitais, presença de feridas, pele seca e escamosa, pontas dos pés roxas, aparecimento de rachaduras, perda de sensibilidade, formigamento ou dor nos pés, cãibras, presença de calos em alguns pontos dos pés. A pessoa com diabetes deve ter uma atenção especial aos pés sempre os examinando todos os dias procurando por cortes, bolhas, unhas encravadas, ou qualquer ferida, porque uma simples ferida se não tratada pode se complicar e levar em casos mais graves a uma amputação. Sendo uma doença silenciosa devemos sempre estar atentos e fazer exames de rotina para poder detectá-la o mais breve possível evitando assim suas complicações e melhorando a qualidade de vida.

O paciente com diabetes pode fazer o diagnóstico, tratamento e receber medicamentos gratuitamente pelo SUS (Sistema Único de Saúde). Prevenção é claro sempre a melhor medida contra qualquer doença.

Por, Fátima Mendes.

Referências

http://mundoeducacao.bol. uol.com.br/doencas/diabetes.htm

http://controlaradiabetes.pt /vida-saudavel/prevencao-da-diabetes

http://revistavivasaude.uol. com.br/edicoes/0/artigo20188-1.asp

https://www.orientacoesmedicas.com.br /diabetes/diabetes-cuidados-com-o-pe-diabetico/#gs.xv9gVuA

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *